Quais as fraudes mais comuns em condomínios ?

17/07/2018

#1 PROBLEMAS COM EMPRESAS E OUTROS PROFISSIONAIS

Algumas companhias e pessoas mal-intencionadas agem desonestamente a fim de desviar verbas. Entre as práticas mais comuns, estão:

»» emissão de notas fiscais com valores superiores ao que realmente foi pago;

»» omissão na apresentação de documentos que comprovem o movimento financeiro;

»» duplicidade de pagamentos por meio do uso de cópias de notas fiscais;

»» uso do dinheiro do condomínio para fins pessoais;

»» emissão de cheques do condomínio para fins pessoais, mesmo que as contas sejam acertadas posteriormente;

»» uso do fundo de reserva do condomínio sem prestação de contas;

»» não discriminação das contas pagas;

»» funcionários não registrados;

»» compra de produtos e bens pessoais em nome do condomínio.

#2 PROBLEMAS COM FORNECEDORES

As fraudes relacionadas aos fornecedores estão relacionadas tanto à escolha

dessas companhias quanto ao seu relacionamento com elas.

Por exemplo, em alguns casos, as administradoras mantêm um mesmo

fornecedor fixo, que repassam a elas uma porcentagem do valor pago pelos

seus serviços.

Em tais situações, a escolha não se baseia nos melhores preços ou na qualidade do serviço prestado, mas sim na oportunidade de desviar verbas do condomínio.

Assim, algumas medidas devem ser tomadas pelo síndico ou conselho para prevenir esse problema:

»» exija pelo mesmo três orçamentos com diferentes fornecedores;

»» confirme o valor diretamente com o fornecedor;

»» em produtos e serviços de alto custo, trate diretamente com o fornecedor;

»» na compra de insumos de uso constante, como materiais de limpeza, proponha o rodízio de fornecedores;

»» apresente o orçamento aos condôminos, para que seja votado e aprovado em assembleia.

#3 PROBLEMAS COM CONTRIBUIÇÕES TRABALHISTAS

As fraudes mais comuns relacionadas aos funcionários é o não pagamento das contribuições trabalhistas.

Pode ocorrer de as contribuições serem cobradas do condomínio, mas não serem efetivamente pagas.

Isso traz grandes prejuízos aos moradores, pois independentemente da gestão que realizou a fraude os condôminos serão obrigados a pagar, segundo o que é determinado pelo artigo 123 do Código Tributário Nacional.

Para evitar isso, é possível que o próprio síndico ou os conselheiros emitam a CND (Certidão Negativa de Débito) do INSS via internet. Além disso, o próprio funcionário pode acompanhar o pagamento do seu FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) por meio da Caixa Econômica Federal.

#4 PROBLEMAS NA CONTA CORRENTE  DO CONDOMÍNIO

É importante que o síndico ou o conselho monitorem a movimentação da conta-corrente do condomínio, em especial se a conta utilizada pela  administradora for compartilhada com outros condomínios gerenciados pela empresa (conta pool).

Dessa forma, comparando o relatório emitido pela administradora com os extratos bancários, é possível evitar ou identificar desvios.

Obviamente, pessoas desonestas sempre procurarão novas formas de burlar os procedimentos para desviar recursos. No entanto, as auditorias são capazes de passar um pente fino nas contas do condomínio, inibindo ou detectando fraudes.